fbpx

Os 6 erros mais comuns ao se abrir uma empresa

jul 04, 2018

auditto@maples

Blog

1

Os 6 erros mais comuns ao se abrir uma empresa

O Brasil é um dos países com mais empreendedores do mundo, mas uma imensa parte das empresas abertas fecha nos cinco primeiros anos de funcionamento. Cometer falhas no primeiro empreendimento é do jogo, porém, é possível preparar-se para as mais corriqueiras nesse processo. Abrir o próprio negócio requer planejamento e disposição para enfrentar esses desafios diários, e um pouco de capacitação antes de empreender pode evitar muita dor de cabeça. Separamos aqui as principais falhas de quem está entrando nessa carreira. Quer abrir um negócio próprio? Então veja se você comete algum dos erros a seguir:

1. Falhar na locação do imóvel comercial

Muitas vezes o empresário escolhe o ponto e faz a locação do imóvel sem saber se ele possui as as características necessárias para a atividade desejada. É preciso conhecer quais as licenças indispensáveis para exercício da atividade e se o zoneamento municipal permite a instalação desta atividade, bem como se a documentação do imóvel está em dia junto à prefeitura e ao corpo de bombeiros. “Às vezes o empresário já está com tudo alugado e até concluiu a reforma, mas não fez um estudo de viabilidade do ponto. Se isso não acontece, pode-se ter de gastar mais para contratar alguém a fim de regularizar o imóvel, ou para obter as licenças e adequações deste imóvel, por exemplo”, explica Erick Pomin, CEO da Solutta Consultoria.

É preciso definir corretamente qual será a atividade desenvolvida e somente depois se torna possível dizer com precisão quais serão as licenças que o empresário terá de obter no caso de conseguir imóveis para a atividade e realizar essa consulta de viabilidade.

2. Escolher um ponto comercial em local ruim

Ainda é comum ignorar um passo essencial para se abrir um estabelecimento: a realização de uma pesquisa de mercado para saber a viabilidade de um ponto comercial. A ausência deste estudo pode causar grandes prejuízos. A recomendação é consultar empresas especialistas, investimento esse que acaba poupando tempo e custos a médio e longo prazo.

Essa pesquisa permite identificar aspectos importantes, como, por exemplo, uma localização que demonstra aspectos negativos, como fluxo de pessoas e concorrentes diretos muito próximos. Isso pode comprometer o desempenho das vendas. Nesse caso, é bom considerar a mudança do empreendimento para um lugar melhor e mais estratégico.

3. Deixar para fazer a parte burocrática por último

Quando o empreendedor começa a atividade empresarial, o ideal é abrir uma empresa no papel antes de tudo para já criar a personalidade jurídica.

É possível abrir uma empresa de empreendimentos na própria residência do empresário. Com isso, todas as despesas pré-operacionais já podem ser feitas em nome da própria empresa, com o estudo de viabilidade e a assessoria técnica já podendo ser contabilizados.

Assim, a empresa já nasce da maneira correta, com levantamento preciso dos custos pré-operacionais e com conhecimento do valor real de capital de investimento, dando segurança para se fazer um aporte.

Quando o ponto comercial estiver pronto, será necessário apenas fazer uma alteração de contrato sociale adequação do objeto/atividade da empresa, e aí pode-se começar operando de fato. Nesse momento, já se criou uma conta bancária, já se estabeleceu um relacionamento com fornecedores, já se tem dinheiro na conta da empresa e não é preciso se preocupar com a abertura de um CNPJ no dia da inauguração do espaço físico, por exemplo.

4. Não conhecer o tamanho do investimento

Outro erro comum no processo de abertura de um negócio é não saber se há capital suficiente, o que está muito ligado ao desconhecimento da atividade que se quer desempenhar. O empreendedor que pensa em abrir um negócio deve procurar antes uma empresa de consultoria que entenda profundamente daquele segmento em que se pretende exercer a atividade empresarial.

Uma consultoria especializada tem como apontar exatamente quanto deve ser o capital de giro, quanto custa se ter um estoque na prateleira, como é o processo de compra junto aos fornecedores, quanto tempo se consegue de prazo para pagar tais fornecedores, como serão efetuadas as vendas – se no cartão de crédito e a porcentagem que será nessa modalidade, a necessidade de se comprar ou alugar máquinas e terminais para esse fim, entre outras questões essenciais.

Desconhecer o custo de mão de obra, qual a margem em que se é possível trabalhar, por quanto esse produto ou atividade que o empresário está planejando vender irá formar de receita, tudo isso pode ser fatal. Investir em consultorias que auxiliem o empreendedor na montagem do plano de negócios certamente poupará muitos dissabores.

5. Desconhecer os tipos jurídicos e regimes tributários existentes

Para se abrir um negócio, é preciso conhecer a fundo quais os regimes tributários existentes, tipos societários e qual a carga de impostos que isso impactará ao final do mês. A escolha do tipo de regime tributário mais adequado para o seu negócio deve ser feita com cautela, uma vez que desta decisão é que será definido como será o relacionamento entre empresa, Fisco e Secretaria da Fazenda. Uma escolha equivocada pode acarretar um aumento da carga tributária, sendo aconselhável realizar um planejamento tributário junto a um contador capacitado, definindo o regime com a menor carga tributária – desde que não haja fraude ou sonegação por erros nessa escolha, já que a forma de tributação escolhida tem impacto direto na apuração dos impostos e nas declarações acessórias a serem enviadas ao Fisco.

Além disso, muitos empreendedores iniciantes se confundem ou não têm o conhecimento necessário da parte jurídica do negócio, atrapalhando o desenvolvimento da ideia de se abrir uma empresa. Se o empresário planeja abrir um negócio em sociedade com alguém, é preciso conhecer os tipos jurídicos societários mais adequados a cada situação.Se não conhecer esses detalhes a fundo, o empresário então precisa obrigatoriamente de uma assessoria que consiga orientá-lo em todos os detalhes. Escolher o regime tributário e o tipo jurídico corretos pode evitar que a empresa feche com poucos anos de atividade por prejuízos não calculados no planejamento inicial.

6. Ter ansiedade em abrir logo

ansiedade de colocar um projeto para funcionar antes da hora pode matar um negócio iniciante. O empreendedor precisa gastar o dobro de tempo no planejamento antes de abrir um negócio, sendo necessário aprender a controlar a ansiedade para evitar acelerar demais os passos antes da hora. O planejamento deve prever um início mais conservador, pois são raros os negócios iniciantes que ultrapassam as projeções iniciais.

Post by auditto@maples

One Response to Os 6 erros mais comuns ao se abrir uma empresa

  1. Pingback: Cálculo de impostos: A terceirização reduz os problemas? - Solutta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0
0
image
https://solutta.com/wp-content/themes/hazel/
https://solutta.com/
#0066a1
style1
paged
Carregando...
/var/www/solutta/
#
on
none
loading
#
Sort Gallery
on
yes
yes
off
off
off